No Dia do Samba, catarinenses falam sobre a importância da mulher para o ritmo: ‘essenciais na origem’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

O Dia Nacional do Samba é comemorado nesta quinta-feira (2). Para celebrar, o g1 Santa Catarina convidou cantoras e músicas do estado para falar da importância da mulher para esse gênero musical.

Mestre em música e educadora musical, Eloísa Costa Gonzaga, de 36 anos, afirmou que “as mulheres são figuras essenciais na origem do samba, pois estão à frente da organização de uma roda de samba, e principalmente na suas composições, que traduzem aspectos políticos e históricos”.

Cantora Gi Guedes — Foto: Gicella Guedes da Fonseca/Arquivo pessoal

A cantora Gicella Guedes da Fonseca, conhecida como Gi Guedes, da mesma idade, também falou sobre esse papel histórico. “Abriam a porta das suas casas para que as rodas de samba pudessem acontecer, e isso veio evoluindo! Hoje a mulher ocupa espaços como cantora, como musicista, como compositora, marcando presença em todas as frentes do samba!“, declarou.

A também cantora Luciana Varella, conhecida como Dada Varella, de 41 anos, destacou essa evolução no papel da mulher no samba.

Hoje continuamos rezando, cozinhando, mas sobretudo tocando, cantando, compondo, versando somos representatividade no samba. Temos muito a progredir ainda. O real objetivo de sermos enxergadas, e não somente olhadas, é constante“, afirmou.

‘Sentimentos múltiplos’

Para Dada Varella, o samba traz “sentimentos múltiplos“. “Traz constantemente a esperança de dias melhores. Entrar no coração das pessoas cantando samba é alcançar o êxito de transformar a vida das mesmas, como o samba fez é faz com a minha própria vida“, disse.

Cantora Dada Varella — Foto: Luciana Varella/Arquivo pessoal

Eloísa fez coro à importância do gênero musical para ela.

O samba é forma que me apresento para o mundo, sem o samba não viveria“, afirmou Eloísa.

Viva o Samba! Que cada vez mais possamos levar o nosso samba, e muita alegria a pessoas diferentes! Somos resistência, somos luta, mas somos alegria!“, comemorou Gi Guedes.

Neste Dia Nacional do Samba, Dada Varella deixou um recado. “Todo dia é dia de samba. Que as mulheres deixem de ser subestimadas, que sejamos mais valorizadas no samba em todas suas vertentes”.

Lugar de mulher é onde ela quiser e no samba fazemos toda a diferença“, disse Varella.

Fonte: G1.